Livresco’s Weblog

O que vou lendo por ai…

No campo é que se está bem, alguma dúvida?

Viver na cidade aumenta o risco de depressão e ansiedade:


 

07/07/2011 Posted by | Saúde: notícias | Deixe um comentário

Investigadores do IPATIMUP -Equipa com investigadores portugueses dá passo em frente no conhecimento do cancro do estômago

Um estudo internacional, no qual participaram investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia da Universidade do Porto (IPATIMUP), deu mais uns passos no conhecimento e tratamento do cancro do estômago, ao perceber como se comporta uma bactéria que provoca a doença.

“A helicobacter pylori é um carcinogénio muito importante no cancro do estômago. Com este estudo, conseguimos ter conhecimento biológico sobre o processo de mutação das células, percebendo como a bactéria helicobacter pylori é capaz de transformar uma célula normal numa célula maligna. Ao sabermos isto, conseguimos abordar melhor a doença do ponto de vista terapêutico”, explicou hoje à Lusa Raquel Seruca, investigadora do IPATIMUP.

O instituto da Universidade do Porto participou no estudo em parceria com a Roskilde University, na Dinamarca, e o Institute Pasteur, em França, com o objectivo de “tentar perceber de que forma a infecção provocada por esta bactéria é capaz de introduzir alterações no núcleo das células do hospedeiro”, afirma a cientista.

O conhecimento possibilitado por este estudo, publicado na revista “Clinical Cancer Research” de Maio, é particularmente útil no caso de doentes com resistência aos antibióticos usados para atacar a helicobacter pylori.

“Este conhecimento é mais importante para os doentes mais resistentes aos antibióticos ou com maior recorrência de infecções”, observa Raquel Seruca.

Nesta investigação, os cientistas perceberam que, em ambiente “in vitro”, a helicobacter “era capaz de alterar a forma como os genes do núcleo do hospedeiro funcionam” e que é responsável pelo “aumento da taxa de alterações da própria mitocondria da célula do hospedeiro”.

Esta é a “grande novidade” deste artigo científico, diz a investigadora.

Estas conclusões foram, depois, “validadas” nos tecidos de doentes com cancros gástricos ou com lesões no estomâgo (gastrites, por exemplo).

A infecção pela helicobacter pylori é considerada um dos mais importantes factores de risco dos cancros de estômago (65 por cento dos casos estão relacionados com a bactéria).

Fonte: Público de 10.05.2009

10/05/2009 Posted by | Saúde: notícias | , | Deixe um comentário

Saúde: Dos 18 937 diabéticos inscritos nos Centros de Saúde 1411 necessitam tratamento à retinopatia – Rastreio salva da cegueira

O Programa de Rastreio da Retinopatia Diabética que, em 2008, foi desenvolvido pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, junto dos 18 937 diabéticos inscritos nos Centros de Saúde da região, possibilitou a despistagem de 863 casos da doença. O tratamento das situações identificadas possibilitou que esses doentes não ficassem cegos, ou pelo menos, o processo de cegueira foi consideravelmente atrasado.

A revelação foi ontem efectuada por José Boavida, coordenador do programa nacional de prevenção e controlo de diabetes, na apresentação dos resultados do programa.

“A diabetes é a principal causa para a cegueira, motivada pela retinopatia, que é uma alteração nos vasos sanguíneos devido ao aumento da glicose [açúcar] no sangue”, explicou o especialista, que alertou para o aumento da doença. “Actualmente, cerca de 11% dos algarvios sofrem de diabetes, estimando-se que se não houver uma mudança de hábitos, em 2025, teremos entre 15 a 25 por cento da população com diabetes”, garantiu José Boavida.

SAIBA MAIS

CUSTO

O programa de rastreio custou 227 940 euros. O tratamento dos 863 utentes está estimado num milhão de euros.

LASER

Tratamento é feito com raios laser. O diabético deve controlar os níveis de açúcar no sangue desde as fases iniciais da doença.

SINTOMAS

Inicialmente não há sintomas, daí a importância dos diabéticos vigiarem a visão, através de exames oculares regulares

Fonte: Correio da Manhã de 21.04.2009

21/04/2009 Posted by | Saúde: notícias | , , | Deixe um comentário

Do Portugal Diário: «Aprendizagem aumenta a necessidade de dormir» – Investigadores norte-americanos revelam que a função principal do sono é libertar o cérebro de informações irrelevantes

Uma equipa de investigadores norte-americanos concluiu que o sono ajuda a limpar o cérebro de informações desnecessárias e a dar lugar a novas aprendizagens, num trabalho publicado pela revista Science, avança a Lusa.

Paul Shaw e a sua equipa de investigadores na University School of Medicine de Saint Louis, que estudam a mosca da fruta, começaram por querer saber quantas ligações neuronais ou uniões de células se alteram durante o dono.

Para os neurologistas, a criação de novas ligações entre neurónios (sinapses) é uma forma fundamental do cérebro codificar recordações e aprendizagens, mas como estas não podem manter-se indefinidamente, é aí que o sono desempenha o seu papel.

Neste sentido, a função principal do sono seria libertar o cérebro das informações irrelevantes registadas no dia anterior.

Segundo os investigadores, é possível seguir a criação de novas sinapses no cérebro da mosca da fruta num momento de aprendizagem e mostrar como o sono diminui o número de sinapses.

Os cientistas vêem nestas moscas um bom modelo para estudar o sono nos humanos, já que, como as pessoas, estes insectos precisam de seis a oito horas de sono por noite e mostram sinais físicos e mentais de privação quando não dormem o suficiente.

«Muito do que aprendemos num dia não precisamos de memorizar», afirmou outra autora do estudo, Chiara Cirelli, da Universidade de Wisconsin-Madison, acrescentando: «Se usarmos todo o espaço, não podemos aprender mais sem limpar o lixo do cérebro».

A descoberta reforça a ideia de que é essencial dormir bem de noite para consolidar as memórias importantes da véspera e eliminar as que estão a ocupar espaço desnecessariamente.

Já se sabia que o sono promove a aprendizagem, mas esta equipa chegou à conclusão de que «a aprendizagem aumenta a necessidade de dormir».

«Actualmente, muitas pessoas estão preocupadas com os seus empregos e com a economia, e algumas delas estão a dormir pouco por causa disso», disse Paul Shaw.

Porém, «estes dados sugerem que o melhor a fazer para estar em forma e aumentar as hipóteses de manter o emprego é dar alta prioridade a dormir o tempo necessário», concluiu.

Fonte: Portugal Diário – 03.04.2009

03/04/2009 Posted by | Saúde: notícias | , | 1 Comentário

www.consumer.es: Vitaminas para frenar enfermedades neurodegenerativas

El déficit crónico de vitaminas del grupo B puede conducir a hiperhomocisteinemia, asociada a diversas enfermedades neurodegenerativas como el Parkinson

CONTINUA: LINK

10/10/2008 Posted by | Saúde: notícias | , | Deixe um comentário

JN: Bons hábitos são o melhor para combater insónias

Combinar alguns hábitos ajuda mais a conciliar o sono do que recorrer a medicamentos, que têm efeitos secundários e não podem ser uma solução para toda a vida. Investigadores alemães fornecem algumas pistas.

Ir para a cama só quando se está cansado e pronto para dormir. Este é um dos conselhos dados por investigadores do Instituto Alemão para a Qualidade e Eficiência dos Cuidados de Saúde. Eles acrescentam que ler ou ver televisão na cama pode fazer desaparecer a sonolência. Antes de se ir para o quarto, deve-se adoptar a prática de algumas técnicas de relaxamento que levem uma pessoa a “desligar” os botões. Evitar o álcool ou bebidas com cafeína é outro dos segredos. “Poucos sabem que o álcool é uma das principais causas de uma má noite de sono, apesar de associarem esta experiência ao café, ao chá ou à coca-cola”, adverte o director do instituto, Peter Sawiki.

Das observações feitas, os investigadores avançam com outro conselho: se não se consegue dormir, o melhor é não se fixar obstinadamente nessa dificuldade e sair da cama para se entreter com qualquer coisa. Outra das receitas para melhor dormir é acordar sempre a uma hora certa.

Um em cinco adultos dos países industrializados sofre de insónias pelo menos numa fase da vida.

LINK

22/08/2008 Posted by | Saúde: notícias | | Deixe um comentário

JN: Sálvia usada para controlo de Alzheimer

Uma investigação realizada em Portugal mostra que uma variedade de sálvia pode ser usada para controlar duas enzimas responsáveis pelo Alzheimer. A planta tem a vantagem de baixar os custos e de não ser tóxica.

Investigadores portugueses concluíram que extractos de uma espécie autóctone de sálvia, abundante nas serras d’Aire e Candeeiros, têm “enorme potencial” como terapia para melhorar capacidades cognitivas, funcionais e comportamentais em doentes com Alzheimer.

“Vários extractos da espécie de sálvia que estudámos provocam inibições bastante potentes de enzimas envolvidas na patologia de Alzheimer”, disse Amélia Rauter, do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, uma das líderes da investigação.

Falta agora transformar esses extractos em princípios activos que possam ser usados pela indústria farmacêutica, adiantou.

Para já, a investigação demonstrou a acção dos extractos desta espécie de sálvia em duas enzimas que controlam a evolução da doença de Alzheimer, o que permitirá controlar o desenvolvimento da patologia, segundo o presidente do Conselho Directivo da Escola Superior Agrária de Santarém, Jorge Justino, que também lidera o projecto.

Para os investigadores, o grande potencial da descoberta reside no baixo custo, na actividade biológica relevante e na ausência de toxicidade, frisando que até a comum infusão desta planta pode ser usado como terapia na doença de Alzheimer.

“Vários extractos mostraram capacidade para inibir as enzimas acetyl e butirilcholinesterase, envolvidas nas neurotransmissões cerebrais e responsáveis pela progressão da doença”, com a vantagem de os extractos bioactivos revelarem ausência de toxicidade, frisam os investigadores.

Jorge Justino afirmou que existem já no mercado alguns fármacos que inibem as enzimas envolvidas nas neurotransmissões cerebrais. Contudo, os investigadores sublinham a “necessidade urgente” da descoberta de substâncias “mais eficientes e menos caras que as usadas actualmente”.

Os primeiros estudos sobre a planta tiveram início em 1992, num projecto que há um ano conseguiu o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), depois de publicados os primeiros resultados. O projecto está agora em fase de registo de patente.

A FCT apoia, durante três anos, o estudo da produção agronómica desta espécie de sálvia “com vista à avaliação dos seus constituintes para o potencial controlo da doença de Alzheimer”.

LINK

12/08/2008 Posted by | Saúde: notícias | | Deixe um comentário

Ansiedade causa cada vez mais perdas de memória

Saúde. O modo como a sociedade vive o seu dia-a-dia alterou as causas até há poucos anos ligadas às perturbações da memória. Segundo Belina Nunes, o ‘stress’, a privação de sono e a toma de ansiolíticos são, agora, os principais responsáveis pela diminuição da memória em pessoas entre os 30 e os 40 anos
A depressão e a ansiedade são as causas mais comuns para os problemas da memória na população em geral, ultrapassando significativamente as que até há poucos anos estavam associados a esta perturbação: o envelhecimento e as demências. “A maneira como as pessoas hoje vivem em sociedade, com os muitos compromissos, o stress, as preocupações profissionais e a falta de descanso, alterou profundamente esse cenário”, disse ao DN a médica neurologista Belina Nunes, que acaba de lançar no mercado um livro sobre o tema.

“Os problemas com a memória têm aumentado nos últimos anos, sobretudo na população na casa dos 30 e 40 anos”, disse aquela especialista, directora da Clínica da Memória, no Porto, e responsável pela consulta de demências do serviço de Neurologia do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos. “Cada vez aparecem mais pessoas nas consultas e não estão velhas nem dementes. A depressão e a ansiedade têm uma prevalência extrema”, frisou. “Muitas vezes chegam ao consultório bastante preocupadas porque pensam que estão dementes, mas isso não corresponde à realidade. Há outras causas, sobretudo a ansiedade, que as leva a tomar ansiolíticos, que, por sua vez, têm um impacto importante no equilíbrio da memória.”

A depressão, a ansiedade, o papel da emoção, as memórias involuntárias, o uso de medicação calmante tais como benzodizepinas (o conhecido Xanax) são abordados no livro “Memória – Funcionamento, Perturbações e Treino”, dado o seu elevado impacto. Doenças como a epilepsia temporal, a perturbação bipolar e a esquizofrenia são também apresentadas, dada a sua interdependência com a actividade cognitiva. São também abordados os processos de aprender e de esquecer, assim como a amnésia infantil.

“Em termos de aperfeiçoamento do funcionamento da memória devemos cuidá-la ao longo de toda a vida e não apenas quando percebemos que está a falhar. A nossa memória representa um arquivo único e irrepetível, o qual devemos rever, organizar, catalogar, para mantermos sempre a noção de identidade própria”, disse, acrescentando que “devemos cultivar memórias agradáveis, mantermo-nos ligados a actividades de lazer, aprender a gerir a ansiedade e o stress crónicos, evitar e tratar a depressão, ter hábitos de vida saudáveis e não depender em demasia de ajudas externas de memória, pois para a memória aplica- -se o mesmo que para qualquer função do nosso corpo, isto é, o que não se usa perde-se”.

Belina Nunes alerta para a necessidade de “estarmos atentos ao ritmo do nosso organismo, fazer pausas no trabalho, ter horários regulares e dormir mais”. A memorização de informação, diz, necessita de atenção, de tempo, de pausas, factos muitas vezes descurados em trabalhos desgastantes que exigem diversas solicitações em simultâneo.|

LINK

08/08/2008 Posted by | Saúde: notícias | , | Deixe um comentário

Não se esqueçam das vitaminas…: Alimentar o cérebro

Estudo. Um professor de Neurocirurgia da Universidade da Califórnia analisou mais de 160 estudos sobre como o que comemos afecta o nosso cérebro e concluiu que há alimentos que funcionam como remédios: melhoram o desempenho e ajudam a conservar a memória

No estudo publicado na edição de Julho da Nature Reviews Neuroscience, Fernando Gomez-Pinilla conclui que alguns alimentos têm efeitos tão importantes que são “como medicamentos”. “A dieta, o exercício físico e o sono têm o potencial para alterar a saúde do nosso cérebro. Isso deixa no ar a excitante possibilidade de introduzir mudanças como uma estratégia para melhorar as nossas capacidades cognitivas, proteger o cérebro de danos e contrariar os efeitos do envelhecimento”, explica.

O que comemos influencia o desempenho do nosso cérebro. A conclusão foi revelada por um professor da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que passou em revista 160 estudos sobre como os alimentos afectam o cérebro para fazer o mais completo guia sobre a influência da dieta na nossa capacidade cognitiva e memória.

CONTINUA: LINK

22/07/2008 Posted by | Saúde: notícias | , | 4 comentários

Longas exposições a telemóveis matam ratinhos: toca lá a utilizar menos o telemóvel…

A taxa de mortalidade dos ratos aumenta e a memória degrada-se após longas exposições a radiação dos telemóveis, segundo a tese de doutoramento de um investigador belga, citada ontem no diário “Le Soir” e defendida anteontem na Universidade Católica de Louvaina.

Para o estudo dos efeitos de radiações como as de telemóveis, redes Wi-Fi e respectivas antenas, Dirk Adang utilizou 124 ratos de laboratório, expondo três grupos de durante 18 meses (cerca de 70% da duração média da vida dos roedores), duas horas por dia, a diferentes níveis de radiação, enquanto os outros animais ficaram num grupo de controlo não exposto a radiações.

Nos três grupos de ratos expostos a taxa de mortalidade alcançou os 48,4%, 58,1% e 61%, valores superiores aos 29% do grupo de controlo. Adang investigou ainda o impacto da radiação sobre a memória dos roedores e concluiu que uma longa exposição, de 15 meses, causa “evidentes perdas de memória”. A Organização Mundial de Saúde recomenda esperar até 2015 para avaliar o impacto das radiações sobre o homem dado que o uso do telemóvel disparou em 1998, recorda o investigador.

LINK

25/06/2008 Posted by | Saúde: notícias | | Deixe um comentário