Livresco’s Weblog

O que vou lendo por ai…

Manuel António Pina: Samba de uma nota só

A diversidade e a pluralidade do debate interno nos partidos portugueses não deixa de me surpreender. No PCP, Jerónimo de Sousa foi eleito praticamente por unanimidade, apenas com a abstenção de quatro anónimos heróis sacrílegos; no CDS, Portas por 91,6%; no BE, Louçã por 78,7%; e, agora, no PS, Sócrates por 96,43%. Todos os queridos líderes foram a votos sozinhos (e, na maior parte dos casos, sozinhos e mal acompanhados). No BE ainda chegaram a esboçar-se umas tímidas alternativas, mas o resultado foi idêntico. Tirando o PSD, onde, em lugar do debate, reina o caos, todos os outros partidos são sambas de uma nota só, pelotões acríticos marchando em ordem unida em direcção a uma fatia do poder e do Orçamento de Estado, onde cada vez menos gente, alguma por falta de jeito outra, que sei eu?, por excesso de convicção, troca o passo. Saddam Hussein, Enver Hoxha e Kim Il-Sung têm boas razões para estarem a roer-se de inveja além-túmulo; e e Kim Jong-Il decerto reflectirá melancolicamente sobre a singularidade teórica do unanimismo à portuguesa: em vez de um partido único, quatro partidos únicos.

Fonte: Diário de Notícias de 16.02.2009

Anúncios

16/02/2009 - Posted by | Política: artigos de opinião |

1 Comentário »


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: