Livresco’s Weblog

O que vou lendo por ai…

Nuno Rogeiro (JN de 30.01.2009): Sob a sombra escrevo

Escrevo sob uma nuvem. Sob a sombra. Escrevo entre o comunicado da Procuradoria-Geral da República, ao fim da manhã de ontem, e a esperada intervenção do primeiro-ministro, que ainda não se verificou.

Escrevo naquele tempo em que, por palavras e pensamentos, actos e omissões (como se diz na liturgia católica), ficou estabelecida na nossa terra, mais uma vez, a dúvida.

Escrevo numa altura em que essa dúvida divide pessoas, alimenta boatos, incentiva os cobardes à bofetada fácil, desmoraliza os que gostariam de acreditar num futuro nacional sem escândalos, e mostra que alguns responsáveis reagem mal sob pressão.

Escrevo num momento em que parecemos, à partida, envolvidos num caso internacional complexo, que só depois é um “caso português”.

Escrevo sobre um incidente que, em primeira linha, tem a ver com a menor lisura de representantes de uma empresa britânica em Portugal: não nos esqueçamos que quem corrompe não é vítima, mas transgressor, assim como quem é corrompido.

Escrevo numa altura em que o “segredo” de “Justiça” continua a ser uma brincadeira. Vejamos um simples exemplo sobre isto. No Reino Unido, o departamento de combate à grande fraude (SFO), dentro do Ministério Público (CPS), mantém prudente silêncio sobre o caso Freeport, embora este não envolva nenhum órgão de soberania (com excepção de accionistas da família real, que se supõe não terem participado na gestão corrente da empresa). Em Lisboa, alguém fala pelos cotovelos, sendo o visado o primeiro-ministro. E fala pelos cotovelos, mostrando partes de cartas rogatórias do SFO, não explicando o seu sentido processual, não pormenorizando o seu contexto judicial, não precisando a diferença entre pistas, hipóteses, dúvidas, denúncias e convicções das autoridades.

Escrevo numa altura em que, para além do SFO do senhor Alderman, que não é uma polícia (ao contrário do que se vem dizendo), existe um departamento policial especializado (o SCD6 da Scotland Yard), do superintendente Mawer, que, pelo menos desde 2005, investe sobre o caso.

Escrevo num momento em que se deve explicar que a imagem edénica da luta britânica contra a corrupção deve ser “contextualizada”. O SFO só foi criado em 1988, após o famoso “Relatório Roskil”, precisamente por se entender que os tribunais, a Polícia e a acusação da coroa não faziam, até aí, um bom trabalho, no ataque ao crime de colarinho branco.

Escrevo num momento em que precisamos de lembrar que o SFO tem investigado as altas instâncias do estado britânico, incluindo o antigo gabinete de Tony Blair, em torno de alegadas trocas de favores políticos e títulos de nobreza, por contribuições ilícitas para o Partido Trabalhista.

Escrevo sabendo que, no domínio do crime económico, há muitas caixas chinesas, jogos de espelho, fumo e artifícios, que costumam disfarçar os verdadeiros culpados, e os reais centros do Poder.

Escrevo numa altura em que, nem no Reino Unido nem em Portugal, existem suspeitos, acusados em arguidos.

Escrevo numa altura em que, no Reino Unido e em Portugal existem buscas, perícias, escutas, inquirições e apreensões de material e documentos.

Escrevo num momento em que se fala de uma peça videográfica comprometedora, que não serve de prova em tribunal, mas é uma peça suficiente para começar novas investigações.

Escrevo numa altura em que necessitamos saber que o Estado, o regime e o Governo não são réus, domésticos ou internacionais.

Escrevo numa altura em que precisamos de clareza. E a verdade é que não a temos.

Fonte: Jornal de Notícias de 30.01.2009

Anúncios

30/01/2009 - Posted by | Política: artigos de opinião | ,

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: